Postagens

Mostrando postagens com o rótulo fitotecnia

Aplicativo para o manejo de formigas cortadeiras, importante ferramenta para os plantios florestais

Imagem
As formigas cortadeiras compõem a lista das principais pragas dos plantios florestais, por isso, conhecer melhor as diferenças e características de cada gênero de formiga é fundamental para realizar o controle efetivo do problema. O pesquisador Wilson Reis Filho, da Empresa Catarinense de Pesquisa Agropecuária – Epagri, que atua em parceria com a Embrapa Florestas, abordou o tema durante o 7º Workshop Embrapa Florestas/Apre, no dia 24, e mostrou os principais resultados obtidos pela pesquisa nessa área. Além disso, o pesquisador adiantou alguns detalhes sobre a nova ferramenta que está em fase de desenvolvimento, o aplicativo para Manejo Integrado de Pragas (MIP) para formigas cortadeiras na região sul do Brasil. O app deverá ser lançado em breve e irá permitir a combinação de 448 fatores associados ao manejo de formigas cortadeiras, gerando 16 recomendações de controle distintas para cada situação de plantio. “As formigas cortadeiras foram o primeiro problema encontrado

EPAMIG participa de discussões sobre uso de predadores naturais para controle da broca-do-café

Imagem
Tripes predando broca-do-cafeeiro. Foto: Maíra Rezende   Combater pragas de lavouras com uso de insetos é possível. Nesse caso, os “vilões do bem” responsáveis por fazer o controle biológico de pragas são os chamados  tripes predadores, insetos da ordem Thysanoptera. No Brasil, o número de pesquisas dedicadas a esses insetos tem crescido nos últimos anos. Em Minas Gerais, a Empresa de Pesquisa Agropecuária do estado (EPAMIG) realiza estudos para combater a broca-do-café com foco no aumento das populações de tripes predadores.  A broca-do-café (Hypothenemus hampei) é uma das principais pragas dos cafeeiros e afeta a qualidade e o rendimento de grãos de mais de 20 milhões de produtores em cerca de 80 países. As larvas da broca-do-café consomem as sementes dentro dos grãos. Por se tratar de uma praga que vive no interior dos frutos, seu controle é ainda mais difícil. De acordo com a pesquisadora da EPAMIG, Madelaine Venzon, a necessidade de desenvolver novas estratégia

Lavoura protegida e rentável

Imagem
A chegada da primavera na Região Sul é sempre um desafio para os cultivos de inverno, que enfrentam o clima quente e úmido favorável a incidência de doenças nas lavouras. Equilibrar os custos dos tratamentos fitossanitários com a rentabilidade da lavoura foi tema das discussões no 6º módulo da capacitação Embrapa e OCB na cadeia produtiva de cereais de inverno. Os gastos com defensivos podem representar 16% do investimento na lavoura de inverno. As doenças causadas por fungos, bactérias e vírus limitam a produtividade e aumentam os custos de produção. A infecção por estes agentes pode ocorrer em diferentes fases de desenvolvimento da planta, mas o impacto maior está nas doenças de espiga, fase de desenvolvimento da cultura onde doenças como a giberela e a brusone ainda desafiam o setor produtivo. Para minimizar os impactos, a pesquisa trabalha no manejo integrado das doenças, focando na correta identificação, avaliação das condições que favorecem o seu desenvolvimento e difusão de

Publicação traz dicas sobre coleta de plantas para diagnose de doenças

Imagem
Muitos produtores têm dúvidas em relação à coleta de amostras de plantas para envio aos serviços especializados de diagnose de doenças.  A Embrapa Roraima oferece esse serviço e elaborou um folder ( baixe aqui ) com dicas simples para ajudar o agricultor na coleta, acondicionamento e transporte das partes de plantas doentes até o local de análise. De acordo com o pesquisador Daniel Schurt, muitas vezes, as amostras que chegam para identificação não estão adequadas para a realização dos procedimentos de diagnose, sendo necessário o reenvio da amostra, o que atrasa a identificação do problema.“Por isso é importante seguir os críterios para coleta de amostras, pois com a rápida identificação do agente causador, o produtor conseguirá realizar o eficiente controle da doença, utilizando medidas de manejo mais adequadas ”, explica.  Confira algumas dicas para obter resultados eficientes na diagnose de doenças de plantas: Coletar a amostra em grande quantidade (

Pesquisadores identificam vírus em alho no Vale do Itajaí

Imagem
Cerca de 50 amostras de plantas de alho com sintomas de viroses, coletadas no Vale do Itajaí, em Santa Catarina, foram analisadas no Laboratório de Virologia e Biologia Molecular da Embrapa Hortaliças (DF) e os resultados dos testes sorológicos confirmaram a ocorrência de espécies de vírus em campos da região. “Trata-se do primeiro registro nessa localidade da ocorrência do Onion yellow dwarf virus (OYDV), do gênero Potyvirus, e de espécies do gênero Allexivirus, que são transmitidos, respectivamente, por pulgões e ácaros”, indica a pesquisadora Mirtes Freitas Lima, virologista da Embrapa Hortaliças. Os vírus já tinham sido relatados anteriormente infectando campos de alho em outras regiões brasileiras. A coleta das amostras das cultivares de alho nobre Quitéria e Ito foi realizada por técnicos da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri-SC) a partir da observação de sintomas como mosaico em faixas (estrias que variam da coloração verde-clara ao a

Pesquisadores mobilizados para conter avanço da brusone do trigo no mundo

Imagem
Projeto internacional coordenado pela Universidade do Estado do Kansas será apresentado na 12ª Reunião da Comissão Brasileira de Pesquisa de Trigo e Triticale A brusone é uma das principais doenças de impacto econômico no trigo. O  agente causal é o fungo da Magnaporthe oryzae que, quando ataca a ráquis da espiga, resulta em grãos deformados e com baixo peso específico, o que implica em redução no rendimento das culturas.  Até pouco tempo, os relatos de ocorrência da brusone no trigo estavam restritos a eventuais epidemias em áreas tropicais bem definidas no Brasil, Bolívia e Paraguai. Entretanto, em 2016 a doença foi registrada em lavouras de trigo em Bangladesh , no Sul da Ásia, continente com o maior consumo mundial de cereais, chamando a atenção da ameaça global que a brusone representa. Vale lembrar que a maioria das variedade de trigo em cultivo no mundo são suscetíveis à brusone, e os fungicidas disponíveis são ineficientes quando a intensidade da doença

Uso eficiente de fertilizantes favorece o aumento da capacidade produtiva da lavoura de milho

Imagem
Manejo de nutrientes e de doenças para a cultura do milho foi o tema debatido no período da tarde de 8 de maio, durante o simpósio "O Cultivo do Milho no Alto Paranaíba". O evento foi realizado em Patos de Minas-MG, durante a Semana Agronômica de Tecnologias (Sematec) do Centro Universitário de Patos de Minas (Unipam). Participaram como palestrantes pesquisadores da Embrapa Milho e Sorgo e professores do curso de Agronomia do Unipam. O pesquisador Álvaro Vilela de Resende mostrou as exigências nutricionais do milho para altas produtividades. Já o agrônomo Carlos Henrique Eiterer de Souza, professor do Unipam, abordou a racionalização do uso e novas alternativas de fertilizantes no cultivo do milho. Segundo Resende, o uso de fertilizantes interfere no retorno econômico dos demais insumos e práticas de manejo. "Para o milho safrinha, é necessário considerar a redução da umidade do solo ao longo do ciclo, que limita a absorção de nutrientes. Por isso, é importante g
E aí, gostou da matéria? A Agroales News tem em sua missão trazer boas informações aos seus leitores. Sinta-se livre para curtir, comentar e compartilhar nas redes sociais! Contribua com PIX! Chave PIX AGROALES: 999e11f7-141b-460e-a5fe-27a2673c20b3