Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Nutrição Vegetal

Saiba a diferença entre Melaço de Cana líquido e em pó

Imagem
  Todos sabem que o açúcar cristalizado é obtido a partir da cana-de-açúcar, uma planta que pertence ao gênero Saccharum L. O que nem todos sabem, porém, é que o processo de obtenção do açúcar cristalizado gera um subproduto. Ou seja, existe um “resíduo”. Esse “resíduo” é o melaço da cana. Ele é uma mistura de sacarose e sais minerais, rico em potássio, cálcio e fósforo. Pode ser utilizado na produção da fruticultura e na gastronomia, sendo bastante usado no consumo de carnes e queijos. Porém, existem dois tipos de melaço de cana: • O melaço de cana liquido; • O melaço de cana em pó. A seguir, aprenda tudo sobre eles. O melaço de cana liquido O melaço de cana líquido é o caldo de cana-de-açúcar concentrado pela evaporação da água. Assim como o açúcar, tem o poder de adoçar muito forte, com açúcares redutores e parte da sacarose não cristalizada. O melaço de cana líquido tem muitos nutrientes, com destaque para o cálcio e o ferro, que se apresent

Quais as áreas de aplicação do Melaço de Soja?

Imagem
  Produzido por meio da obtenção do concentrado de proteínas de soja, o melaço é um líquido de aspecto viscoso que pode ser aplicado a diversas áreas. Destacam-se três, principalmente: • Na nutrição do gado; • Em fertilizantes; • Na indústria. Para cada um atuando de uma maneira diferente, mas sempre compartilhando o fato de ser proteico e ser uma ação adesiva. Aplicação do melaço de soja na agropecuária O gado em confinamento produz pouca energia, uma vez que é pouco estimulado fisicamente. No entanto, é necessária a presença dela na digestão e em demais ações. Portanto, o melaço de soja se coloca como uma ótima fonte de açúcar para o gado, sobretudo, o de corte. A composição do melaço melhora a palatabilidade dos animais e auxilia a evitar desperdício da ração, sendo misturado às rações ou na composição delas. Isso, porque atua como um adesivo, além de ter a capacidade de repelir os insetos. Ainda se destaca que o melaço deixa o alimento mais agra

4 razões para usar o Melaço de Cana para adubar pomares

Imagem
  O melaço de cana é um subproduto do processo de fabricação do açúcar e do álcool, sendo nada mais do que o caldo de cana-de-açúcar concentrado pela evaporação da água, até que atinja um teor de sólidos desejado. O material é cada vez mais usado em diversos setores de plantação e tem se demonstrado bastante eficaz na fruticultura para adubar pomares. O melaço de cana surge da fervura da cana-de-açúcar, diluído em um tanque e direcionado para o sistema de irrigação. O produto ainda contém açúcares redutores e parte da sacarose não cristalizada. O uso em pomares ocorre principalmente porque o melaço de cana é feito de uma mistura de sacarose e sais minerais, sendo bastante rica em potássio, cálcio, fósforo e outros nutrientes. Diversos pomares e locais que trabalham com fruticultura ao redor do País têm apresentado melhora na qualidade dos frutos plantados e colhidos. Além de ser usado na adubação, de forma direta no solo, o material ainda tem seu uso comprovado c

Melaço de Cana aplicado na fruticultura

Imagem
  Diminuir os custos da nutrição animal é um verdadeiro desafio para o produtor rural e também para médicos veterinários e zootecnistas que atuam com assistência técnica. O valor gasto é alto e, se os ajustes não forem feitos, o retorno financeiro de alguns sistemas de produção pode não cobrir os custos. Muitos produtores vêm buscando nos últimos anos por alternativas orgânicas aos insumos tradicionais. Esta é uma iniciativa que prioriza, além de tudo, aqueles produtos que conseguem oferecer benefícios a um baixo custo. Você sabia que o Melaço de Cana aplicado na fruticultura pode ser uma solução neste sentido? A sua aplicação tem aumentado a produtividade em diversas locais. Para se ter uma ideia: na região do Vale São Francisco, em Pernambuco, foi utilizado este produto no solo. Como resultado houve um crescimento de 12% a 15% na produção local. Este ganho já é um motivo para prestar atenção no melaço. Acontece que não é o único benefício que o insumo traz para o

Dinapec começa nesta quarta-feira em Campo Grande-MS

Imagem
A 14ª edição da Dinâmica Agropecuária, a Dinapec 2019 , tem início nesta quarta-feira e vai até o dia 22 de fevereiro, sexta-feira, na sede da Embrapa Gado de Corte em Campo Grande (MS). A vitrine tecnológica anual, realizada pela Embrapa e Sistema Famasul, tem como tema “Soluções para o Agro Sustentável”. A ministra da agricultura, Tereza Cristina Corrêa, deverá participar do evento no painel do Encontro de Jovens da Agropecuária, promovido pela CNA Jovem, e em um bate papo com o setor produtivo, parceiros da Embrapa e entidades de classe marcado para o dia 22, sexta-feira, às 16h30 na tenda principal. A Dinapec vai oferecer painéis, roteiros tecnológicos, oficinas e outras atividades gratuitas a produtores rurais, estudantes, técnicos, profissionais e empresários do setor. Neste ano, a feira traz espaços para expositores, aproximando os participantes de tecnologias e empresas relacionadas a soluções tecnológicas para a agropecuária brasileira. Doze Unidades da E

Pesquisa pretende aproveitar rejeitos de dessalinização para cultivar alimentos

Imagem
Um projeto desenvolvido pela Embrapa no âmbito do Programa Água Doce (PAD) pretende avaliar a viabilidade do uso de resíduos de dessalinização em cultivo de plantas alimentícias halófitas (resistentes à salinidade). Atualmente, os rejeitos do processo dos sistemas dessalinizadores já em funcionamento no âmbito do programa do Ministério do Meio Ambiente são utilizados para a criação de peixes e plantio de forrageiras para nutrição de caprinos.  Segundo o pesquisador Luiz Carlos Hermes, da Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP), a quinoa é uma das espécies em avaliação. Luiz Carlos Hermes explica que a espécie nativa da região andina do Peru, Bolívia, Equador e Colômbia é um alimento muito nutritivo, considerado o mais completo dentro do reino vegetal, que pode servir como fonte de alimentação humana e de renda.  Conforme explicou Hermes, o projeto vai atuar em várias frentes, com o objetivo de gerar impactos positivos no campo ambiental e social. “As oportun

Estudante de São Carlos recebe prêmio internacional por pesquisa sobre fertilizantes

Imagem
O desenvolvimento e avaliação de novos sistemas de revestimentos poliméricos à base de óleos vegetais para a liberação controlada de ureia no campo levou o doutorando Ricardo Bortoletto Santos a ser contemplado com o Prêmio Scholar do Instituto Internacional de Nutrição de Plantas (IPNI). Santos, que desenvolve a parte prática no Laboratório Nacional de Nanotecnologia para o Agronegócio (LNNA) na Embrapa Instrumentação (São Carlos, SP), é um dos quatro brasileiros - o único da Embrapa - entre os 31 alunos de pós-graduação de 11 países a receber a premiação. Os outros três estudantes são da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ-USP), Universidade Federal de Viçosa (MG) e Universidade Federal de Santa Maria (RS). Cada aluno vai receber dois mil dólares do IPNI, que é uma organização global, sem fins lucrativos, dedicada ao manejo responsável da nutrição de plantas para o benefício da família humana. Em carta enviada ao estudante, o presidente da in

Pesquisa desenvolve hambúrguer de feijão fermentado

Imagem
Em parceria com a Universidade Federal de Goiás ( UFG ), a equipe da pesquisadora Priscila Zaczuk Bassinello, da Embrapa Arroz e Feijão (GO), desenvolveu um alimento a partir da fermentação de grãos de feijão, chamado tempeh , produto original da Indonésia usualmente feito de soja. Ele ainda é pouco conhecido dos brasileiros e pode ser consumido como um hambúrguer vegetal no recheio de sanduíches. Rico em fibras, proteína e minerais, como zinco, ferro e cálcio, o hambúrguer de tempeh de feijão (HTF) da Embrapa pode também ser empregado em dietas sem proteína animal como substituto da carne em sopas, saladas e molhos para massas. Com forte apelo em nichos comerciais com linhas vegetarianas ou veganas, o tempeh não é algo simples para ser preparado por consumidores. Produzido com grãos sem casca, inteiros ou não, o tempeh de feijão (TF) passa agora por aperfeiçoamento em sua composição, para aumentar a sua aceitabilidade. A empresa Totale Vegan, parceira nessa pesquis

Manejo do solo: como produzir matéria orgânica?

Imagem
O manejo adequado do solo promove o aumento da produtividade das lavouras Por Kacey Birchmier A produção de matéria orgânica é um assunto importante para o produtor rural. As técnicas de preparo de solo, como a aragem, e o plantio de culturas de cobertura que aumentam a qualidade do solo podem ajudar ou até mesmo diminuir o rendimento agrícola. O produtor americano Dave Legvold, de Northfield, no estado de Minnesota, descobriu este equilíbrio quando assumiu a administração de uma fazenda, há 13 anos. A área arrendada por ele era fortemente cultivada e mal drenada. “Era horrível”, diz o produtor. Legvold, um defensor do cultivo em faixas, queria melhorar a qualidade geral do campo. Ele implementou medidas que aumentaram a matéria orgânica de 1,7% para 5,5% e até 6,5% em algumas áreas. De acordo com Chad Watts, diretor executivo do Conservation Technology Information Center, cada solo é diferente. “Temos de tratá-los caso a caso”, diz Watts. Via de regra, Watts sugere menos perturbações
E aí, gostou da matéria? A Agroales News tem em sua missão trazer boas informações aos seus leitores. Sinta-se livre para curtir, comentar e compartilhar nas redes sociais! Contribua com PIX! Chave PIX AGROALES: 999e11f7-141b-460e-a5fe-27a2673c20b3