Postagens

Mostrando postagens com o rótulo granja

IMA certifica primeira granja de frango caipira

Imagem
O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) certificou recentemente a primeira granja no estado com o selo do Programa Certifica Minas Frango Caipira, ave que faz parte da tradição culinária de Minas, iniciada ainda na época da colonização. O frango caipira é uma ave rústica, de crescimento lento e resistente ao clima tropical. Seu principal diferencial em relação às demais aves é que a criação oferece baixo custo ao produtor, pois ele pode aproveitar a infraestrutura de sua propriedade, adaptando as exigências sanitárias. O IMA é o primeiro órgão de defesa agropecuária do Brasil a fazer essa certificação. A portaria do Instituto que instituiu o programa, de nº 1833, foi publicada em 4 de julho de 2018, com o objetivo de promover a produção segura dessa ave a com a adoção de normas sanitárias. A granja certificada está instalada no município de Lagoa da Prata, região centro-oeste de Minas Gerais, possui dois hectares e investiu perto de R$ 20 mil na adequação das instalações. A prop

Pocilgas Hotéis na China: Chineses verticalizam suas granjas para acelerar expansão

Imagem
Na montanha Yaji, no sul da China, eles dizem que os porcos em breve viverão mais do que nunca.  A empresa agrícola de propriedade privada Guangxi Yangxiang Co Ltda já está executando duas operações de reprodução de porcas de sete andares, e está colocando mais quatro, duas com até 13 andares, que serão os edifícios mais altos de seu tipo globalmente.  Apelidados de "hotéis" de suínos, as pocilgas de vários andares e de alta tecnologia foram testados na Europa, mas largamente abandonados em detrimento da resistência do consumidor a grandes fazendas intensivas - térreas ou não - ou dificuldades de gestão.  Agora, à medida que a China avança com a rápida industrialização do maior rebanho de suínos do mundo, as residências de alto padrão estão se tornando uma tendência crescente, apesar de seu alto custo. Yangxiang terá 30.000 matrizes, comparado com uma fazenda de criação de 10.000 matrizes de um nível mais típica.  Ele disse que reduz o risco de os suínos pe

IMA passa a utilizar tecnologia em dispositivo móvel na certificação de granjas de reprodutores de suídeos

Imagem
O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) deu início nesse mês à certificação das Granjas Reprodutoras de Suídeos Certificados (GRSCs) utilizando tecnologia em dispositivo móvel desenvolvida pelo próprio Instituto. Até então o trabalho de campo para essa certificação era feito em formulários impressos. Minas Gerais possui o quarto maior rebanho nacional de suínos, com cerca de 5,1 milhões de animais e o terceiro maior rebanho de matrizes fêmeas em reprodução, com 308.854 animais. Nesse contexto, as GRSCs assumem uma função importante pois são certificadas como livres de peste suína clássica, doença de aujeszk, brucelose, tuberculose, sarna e livre ou controlada para leptospira. Essa condição as coloca no topo da pirâmide sanitária e genética da suinocultura brasileira como fornecedoras de matrizes, reprodutores e material genético de alta qualidade para o mercado. Minas possui 29 dessas granjas que abrigam cerca de 39 mil reprodutores de suídeos certificados. O uso da nova tecnologia

OVOS/CEPEA: Preço reage nesta segunda quinzena

Imagem
As cotações dos ovos estão em alta neste início de segunda quinzena de janeiro, influenciadas pela maior demanda, especialmente externa – segundo agentes consultados pelo Cepea, as exportações teriam se aquecido nas últimas semanas. Entre 11 e 18 de janeiro, o preço da caixa de 30 dúzias do ovo tipo extra, branco, a retirar em Bastos (SP), registrou alta de 6,92%, fechando a R$ 63,67 nessa quinta-feira, 18. Quanto ao ovo tipo extra vermelho, a retirar em Bastos, o aumento foi de 7,2%, a R$ 73,06/cx no dia 18. Apesar das altas recentes, a média parcial deste mês ainda está abaixo da do mesmo período de 2017. Considerando-se a média das regiões acompanhadas pelo Cepea, na parcial de janeiro (até o dia 18), o preço médio do ovo tipo, extra, branco está cerca de 12,5% menor neste ano frente ao mesmo período de 2017. Para o ovo tipo extra, vermelho, a queda é de 7% na mesma comparação. Fonte: Cepea

FRANGO/CEPEA: Com fraca demanda, cotações seguem estáveis

Imagem
As cotações da carne de frango, que vinham em queda, principalmente no Sudeste, região mais voltada ao abastecimento do mercado doméstico, ficaram estáveis entre 4 e 11 de janeiro. Apesar disso, o cenário de demanda enfraquecida, segundo colaboradores do Cepea, ainda permanece. Na Grande São Paulo, o valor do frango inteiro resfriado fechou a R$ 3,50/kg nessa quinta, 11, estável (-0,1%) frente ao dia 4. Quanto ao mercado de cortes da capital paulista, a baixa nos preços atinge a maioria dos produtos acompanhados pelo Cepea. Fonte: Cepea

OVOS/CEPEA: Fraca procura e férias escolares pressionam valores

Imagem
Os preços dos ovos iniciaram 2018 em queda em todas as regiões pesquisadas pelo Cepea. Esse cenário se deve à típica demanda enfraquecida em começo de ano, reforçada pelas férias escolares. Além disso, a disponibilidade elevada do produto tem dificultado as negociações, permitindo lacunas muito amplas entre os preços ofertados em função de descontos. Na parcial deste mês (até o dia 11), o ovo tipo extra, branco, foi negociado, em média, a R$ 78,05 por caixa de 30 dúzias colocada na Grande São Paulo, desvalorização de 11,9% frente a dezembro/17. Para o ovo tipo extra, vermelho, o recuo foi de 9,2% na mesma região, com a média dos negócios a R$ 75,3/cx. Fonte: Cepea

FRANGO/CEPEA: Exportação será crucial para absorver excedente doméstico em 2018

Imagem
Cálculos do Cepea indicam que a produção brasileira de carne de frango pode crescer 3,34% em 2018 frente ao ano anterior. A demanda, por sua vez, deve aumentar menos, entre 1,32% e 1,57%, o que indica que o Brasil deve gerar excedente de carne de frango em 2018. Segundo pesquisadores do Cepea, esse cenário mostra que, novamente, o setor vai depender fortemente das exportações e reforça a necessidade de a avicultura nacional seguir cumprindo os requisitos sanitários exigidos por importantes demandantes internacionais. Quanto ao escoamento no mercado doméstico, a competitividade da carne de frango mais elevada – em decorrência dos preços mais baixos em 2017 – pode aquecer o consumo nacional. Além disso, a possível recuperação da economia e a melhoria de outras variáveis macroeconômicas em 2018 tendem a favorecer a demanda interna, à medida que eleva o poder aquisitivo da população. Fonte: Cepea

Ações para prevenir doenças no plantel impulsionam a avicultura mineira

Imagem
Medidas de biosseguridade adotadas pelas granjas, com o apoio do Governo de Minas Gerais, ajudam a alavancar o setor A adoção de medidas que previnem o surgimento de doenças no plantel avícola, sobretudo da influenza aviária, também tem contribuído para alavancar a avicultura em Minas Gerais. Um frigorífico de São Pedro dos Ferros, no Território Caparaó, é exemplo disso. A empresa, que há três anos comercializava apenas espetinhos de frango, fabrica hoje 30 produtos diferentes, duplicou sua capacidade produtiva e já tem planos para exportar. Cuidados sanitários foram decisivos para o salto. O resultado se deve, em boa parte, à fiscalização rigorosa feita pelo frigorífico nas granjas parceiras. “Isso contribui para a melhoria da qualidade do produto. Hoje, só fechamos contratos com empresas que seguem as medidas de biosseguridade. Ampliamos a planta e estamos aguardando a aprovação de uma licença para aumentar ainda mais a produção e, assim, vender para o mercado externo”, af
E aí, gostou da matéria? A Agroales News tem em sua missão trazer boas informações aos seus leitores. Sinta-se livre para curtir, comentar e compartilhar nas redes sociais! Contribua com PIX! Chave PIX AGROALES: 999e11f7-141b-460e-a5fe-27a2673c20b3