Postagens

Mostrando postagens com o rótulo agricultura sustentável

Cultivares de Inverno: como escolher?

Imagem
Atualmente, a região fria do Brasil conta com dezenas de cultivares de cereais de inverno produtoras de grãos. A indicação comercial para cultivos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná apresenta diversas opções de trigo, cevada, aveia, triticale e centeio. Conforme orienta o pesquisador Eduardo Caierão, “é preciso especial atenção à escolha da cultivar, já que ela vai definir o manejo da lavoura e o tamanho do investimento”. Para identificar a melhor opção, o produtor deve conhecer o potencial produtivo da região, as cultivares mais adaptadas, o histórico da propriedade e do clima. No caso do trigo, o Caierão explica que a escolha da cultivar deve considerar uma série de fatores como: liquidez - que está relacionada à qualidade demandada pela indústria e oportunidades de segregação; tolerância a doenças, germinação na espiga ou acamamento considerando as previsões climáticas e a rotação de culturas da área; e potencial de rendimento associado ao custo de investimento mínimo

Oeste da Bahia preserva mais de 4 milhões de hectares de cerrado

Imagem
No Oeste da Bahia, mais da metade da área dos imóveis rurais é destinada à preservação da vegetação nativa local. A região está no bioma Cerrado e corresponde ao BA do Matopiba , acrônico da área de expansão da agricultura no Brasil formada por partes dos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. A extensão de terras reservadas pelos produtores locais para a preservação foi estimada pela Embrapa Territorial a partir da análise dos dados do Cadastro Ambiental Rural (CAR), a pedido do Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) . Nos 32 municípios avaliados, a mancha verde dos espaços reservados à preservação do Cerrado dentro das propriedades recobre mais de quatro milhões de hectares, o que equivalente a 52% do espaço total dos imóveis. O percentual é 2,5 vezes maior do que o exigido pelo Código Florestal – 20%. A área preservada corresponde a 30% do território do Oeste Baiano e é quase 12 vezes maior do que as unidades de conservação e terras indígenas. “É a região da

Cotonicultores apostam na agricultura 4.0 para garantir a sustentabilidade da cultura

Imagem
Com uma produção média estimada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em 1,3 milhão de toneladas de algodão em pluma na safra 2017/2018, os produtores de algodão do estado do Mato Grosso apostam em técnicas emergentes, como a agricultura de precisão (AP) - que adota tecnologias da informação e comunicação (TICs) - para otimizar a produtividade e reduzir custos. É com essa proposta que técnicos do Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt), de grandes grupos produtores e de empresas privadas se reúnem com pesquisadores da Embrapa Instrumentação, em São Carlos (SP), nesta terça e quarta-feira (12 e 13) para discutir projetos em parceria que permitam o uso de soluções tecnológicas visando a sustentabilidade da cultura. Uma das tecnologias é o drone utilizado para captação de imagens aéreas multiespectrais e hiperespectrais, de alta resolução, com sensores infravermelho, capazes de identificar a variabilidade na lavoura para obtenção de retorno econômico e ambiental. No L

Consórcio milho e capim-massai garante silagem com menor custo para produtores de ovinos no Semiárido

Imagem
Experimento realizado por pesquisadores da Embrapa Caprinos e Ovinos (CE) concluiu que o plantio consorciado de milho e capim-massai é uma opção economicamente vantajosa para alimentação de rebanhos de ovinos na região semiárida do Brasil. Em um hectare com as duas culturas, é possível produzir biomassa de forragem para manter produtivos 53 ovinos de corte ou leite, com peso corporal médio de 25 kg, durante oito meses, período que corresponde à época de estiagem. Os resultados indicaram que produzir o volumoso em sua propriedade a partir do plantio de milho e capim-massai é 31,35% mais barato para o criador do que adquiri-lo no comércio. A partir do segundo ano, sem o custo com o cercamento da área, essa economia chega a 78%. Os custos do plantio conjunto de milho e capim-massai para produção de silagem são maiores que para o cultivo do milho solteiro, porque incluem a compra das sementes do capim e o cercamento para impedir o acesso dos animais à área de produção do volumoso e ao s

SIT amplia abrangência em prol da agropecuária de Minas

Imagem
A Semana de Integração Tecnológica (SIT) chega à sua 11ª edição com maior alcance e estabelecimento de novas parcerias. “Sempre pautada no diálogo, na troca de informações, a SIT foi inicialmente pensada para atender a região Central de Minas, mas este ano tomou uma dimensão que abrange todo o estado e recebe caravanas de diversos locais”, comenta Fredson Chaves, supervisor de Transferência de Tecnologias da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas, MG) e coordenador do evento. Fredson ressalta a importância da cooperação entre instituições para realizar as atividades da Semana. “A SIT não seria possível sem a parceria com a Epamig, a Universidade Federal de São João del-Rei e a Emater-MG. E, a cada ano, são construídas novas parcerias, para que as soluções tecnológicas cheguem aos produtores rurais e possam ser usadas em suas atividades agropecuárias.” A programação envolve cinco seminários técnicos, giros tecnológicos, mais de 30 cursos, além de oficinas e dias de campo sobre assuntos

Melhoria na qualidade do açaí reúne três esferas de governo em Portel (PA)

Imagem
“Se vocês seguirem as boas práticas, não haverá nenhum problema de doenças relacionadas ao consumo do açaí.” Essa foi a mensagem final do supervisor do Programa de Combate à Doença de Chagas do Estado do Pará, Éder Monteiro, aos batedores de açaí do município de Portel, em workshop realizado no sábado (19). O evento foi organizado pelo projeto Bem Diverso, em parceria com a Emater e a prefeitura local, para transmitir informações sobre os cuidados que devem ser seguidos desde a coleta até a venda ao consumidor, visando a melhoria da qualidade da bebida. Monteiro apresentou no evento informações sobre a enfermidade que mais preocupa as autoridades quando o assunto é açaí: a doença de Chagas. Segundo o ele, a cada ano cerca de 300 casos são registrados no Pará. E 85% dessas ocorrências são contaminações via oral, causadas pelo consumo da polpa do açaí contaminada com o protozoário parasita Trypanosoma cruzi. A transmissão ocorre quando os frutos do açaí são contaminados pelas fezes d

Curso do IMA habilitará profissionais para certificarem a sanidade de produtos vegetais

Imagem
O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) realiza de 4 a 7 de junho, em Belo Horizonte, o 87º Curso para Habilitação de Engenheiros Agrônomos, destinado a servidores do próprio IMA e aos profissionais com essa formação que atuam no mercado. O curso habilitará esses profissionais para a emissão do Certificado Fitossanitário de Origem (CFO) e Certificado Fitossanitário de Origem Consolidado (CFOC). Esse certificado é um documento obrigatório que atesta a sanidade de determinado produto e é pré-requisito para a emissão da Permissão de Trânsito Vegetal (PTV), uma guia oficial que permite o trânsito de vegetais entre os municípios mineiros e para outros estados. O CFO certifica o produto vegetal na unidade produtiva (propriedade rural) e o CFOC certifica na unidade de consolidação (beneficiadora, processadora ou embaladora). O engenheiro agrônomo e fiscal agropecuário Leonardo do Carmo, da Gerência de Defesa Vegetal do IMA, informa que o curso vai habilitar profissionais para a emissão

Governo de Minas Gerais amplia programa e poderá comprar R$ 3 milhões de produtos da agricultura familiar em 2018

Imagem
A agricultura familiar - alicerçada no cultivo tradicional de alimentos pelo próprio núcleo familiar, bem como na utilização de pouco ou nenhum agrotóxico - amplia o seu alcance na sociedade contemporânea. Além do interesse das pessoas em produtos mais saudáveis e na sustentabilidade socioambiental, esse modelo de produção ganha força com a implementação de novas políticas públicas, como em Minas Gerais, onde o Governo do Estado  decidiu por aumentar o percentual de compras desse segmento de produção. A Política de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar – PAAFamiliar – está mais forte, por meio de alteração na Lei 20.608/13. A promulgação ocorreu no mês passado pelo govenador Fernando Pimentel . Uma das novidades refere-se à determinação de que todos os órgãos públicos da administração direta e indireta deverão gastar no mínimo 30% dos recursos destinados à aquisição de alimentos com produtos originários da agricultura familiar. O processo ocorre mediante dispe

Embrapa desenvolve tecnologia para produção de biofertilizantes a partir de algas marinhas

Imagem
Um extrato de macroalgas com tecnologia 100% brasileira é uma das novas tecnologias que a Embrapa Agroenergia está desenvolvendo em parceria com a empresa Dimiagro com aporte de recursos da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) e Sebrae. Todo o extrato de macroalgas usado comercialmente no Brasil é importado de regiões de águas frias, como da Irlanda, ressalta Gregori Vieira, proprietário da Dimiagro. “Já temos comprovado que esse produto proporciona de 10 a 15% a mais de rendimento de lavouras de soja, milho, feijão, banana, uva etc. Então, para não trazermos esse produto de fora do país, nos unimos à Embrapa para produzir uma tecnologia totalmente brasileira”, destaca. Essa é uma solução adicional para aumentar a produtividade na agricultura, salienta o pesquisador da Embrapa Agroenergia responsável pelo projeto, Cesar Miranda. O grupo de pesquisa da Embrapa Agroenergia, com apoio da empresa, está desenvolvendo um processo de obtenção de extratos de alga

Soja rende mais com forrageiras no Tocantins

Imagem
Plantar soja em solo cultivado com forrageiras pode aumentar em quase 50% a produtividade da oleaginosa. É o que concluiu o trabalho de pesquisa de Carlos Andrade, em sua dissertação de mestrado desenvolvida na Universidade Federal do Tocantins ( UFT ) e que contou com a participação da Embrapa . Um dos que colaboraram foi o analista da Embrapa Pesca e Aquicultura Francelino Camargo. O foco do trabalho de Andrade foi a região de Cerrado do Tocantins, que possui mais de 90% de seu território nesse bioma. Andrade explica que, como a região é composta por áreas com diferentes características, o potencial de produção e produtividade das culturas não é o mesmo, assim como não são semelhantes as condições do solo e do clima e, portanto, os resultados dos cultivos também são diversos. Com essa multiplicidade de condições, é preciso entender melhor as áreas de Cerrado em regiões menores ou mais específicas. Foi esse o enfoque do trabalho de Andrade, que concentrou seus experimentos em Gurupi,

Blairo Maggi defende preservação das margens de rios e nascentes

Imagem
O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, propôs, durante participação no 8º Fórum Mundial da Água, que seja incluído no documento final do encontro um compromisso entre os países participantes para estimular a preservação da vegetação nativa em margens de rios e nascentes. O objetivo é manter a qualidade da água e preservar a biodiversidade do planeta. Maggi falou na manhã desta terça-feira (20), no Painel de Alto Nível “Água para Agricultura e Alimentação” e destacou o forte engajamento dos produtores rurais brasileiros com a agenda de uso racional da água. “O Brasil vem trabalhando muito forte nessa área, na conservação e na preservação da água” disse Maggi em seu discurso. “Acho que os demais países deveriam seguir o exemplo do Brasil na conservação das matas ciliares, das nascentes em propriedades privadas”. A exigência legal faz com que os produtores brasileiros preservem 20% do território nacional, contribuindo para a conservação dos recursos hídricos qu

Código Florestal: pequenas propriedades são as mais ameaçadas

Imagem
Na próxima quarta-feira (28) o Supremo Tribunal Federal (STF) retoma o julgamento do conjunto de das quatro Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADI) e uma Ação Declaratória de Constitucionalidade (ACD) com o voto do ministro Celso de Mello, de onde deverá sair a decisão sobre a validade de cinco dispositivos do novo Código Florestal. “A maioria dos Ministros do Supremo Tribunal Federal rechaçou a argumentação do departamento jurídico de luxo das ONGs, a Procuradoria Geral da República (PGR), para a maioria dos dispositivos questionados”, explicou o assessor ambiental e engenheiro florestal Ciro Siqueira. Até este momento, o placar está 5 a 5. Os ministros estão divididos, entre outros pontos, sobre a data de 22 de julho de 2008 como ponto de corte para das disposições transitórias da lei e esse é um dos maiores pontos de preocupação entre lideranças do agronegócio brasileiro. A ameaça maior, ainda de acordo com especialistas, se dá sobre as pequenas propriedades. “Outro ponto que s

Cultivar frutas é alternativa para manter floresta em pé

Imagem
A Amazônia possui notável diversidade de plantas produtoras de frutas comestíveis, entretanto, até então, um reduzido número dessas espécies assumiu posição de destaque na fruticultura nacional ou mesmo na fruticultura regional, destacando-se, atualmente, o açaizeiro (Euterpe edulis), o cupuaçuzeiro (Theobroma grandiflorum), o maracujazeiro (Passiflora edulis) e o abacaxizeiro (Ananas comosus). Na região Amazônica, a castanha-do-brasil (Bertholletia excelsa), o bacuri, (Platonia insignis), muruci (Byrsonima crassifolia) e o taperebá (Spondias mombin), também conhecido como cajá em outros estados, já são frutas com mercados consolidados e no caso da castanha, mercado internacional, mas aproximadamente 95% da produção ainda é oriunda do extrativismo. Para elas, o cultivo em escala comercial, e com isso, o alcance de novos mercados, tem como principal fator limitante o tempo requerido para que entrem em fase de produção, pois apresentam longa fase juvenil especialmente quando propagadas p

Acúmulo de carbono no solo e a importância da adoção de práticas de manejo sustentáveis

Imagem
Acúmulo de carbono no solo O plantio direto na palha é uma prática agrícola adotada por produtores no Cerrado desde a década de 1980. Sua adoção viabiliza várias safras num mesmo ano agrícola. Além de reduzir a erosão e evitar perdas de solo, o SPD reduz os custos de produção por não necessitar revolver o solo (menor custo energético) e também aumenta o rendimento das operações de semeadura, ampliando a janela de plantio para o produtor. Dada sua importância, o SPD é uma das tecnologias incluídas no Plano Setorial de Mitigação e de Adaptação às Mudanças Climáticas para a Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura ( Plano ABC ). A inclusão teve como objetivo melhorar a qualidade do sistema, uma vez que há a necessidade de uma cobertura permanente do solo, o que não ocorre nos sistemas de cultivo mínimo ou semeadura direta, nos quais, na maioria dos casos, não há revolvimento do solo. Há ainda em todas as regiões do País uma grande área sob preparo convencion

Plantio direto com rotação de culturas é eficaz na mitigação de gases de efeito estufa

Imagem
Experimentos de longa duração na região central do Cerrado brasileiro apontaram que o sistema plantio direto (SPD) com uso da rotação de culturas e presença de plantas de cobertura é o mais promissor para mitigação de gases de efeito estufa (GEE), quando comparado ao cultivo mínimo, sem a presença de plantas de cobertura, ou ainda em relação ao preparo convencional do solo. Os sistemas integrados, ou mesmo os sistemas em que a gramínea braquiária foi utilizada somente como planta de cobertura após a soja, também apresentaram menores emissões de GEE. Na avaliação das emissões acumuladas por unidade de produto (grãos/massa seca), os pesquisadores da Embrapa Cerrados (DF) observaram que o SPD com milho na presença de nitrogênio (N) e com milheto, como planta de cobertura, resultou na menor intensidade de emissão: 77 miligramas de óxido nitroso (N2O) por quilo de grãos produzido (77 mg N-N2O kg-1 grãos). Esse resultado foi obtido em comparação a outras espécies de plantas de cobertura, a

Resultados de avaliação econômica destacam a importância do planejamento na ILPF

Imagem
A avaliação feita em cinco Unidades de Referência Tecnológica e Econômica (URTE) com sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) em Mato Grosso evidenciou a importância do bom planejamento para o melhor retorno financeiro para o produtor. Embora os dados confirmem a viabilidade econômica da ILPF em todas elas, a correta definição da configuração do sistema e o estudo prévio de mercado são determinantes para garantir a competitividade. Questões como a escolha da espécie usada na rotação das culturas em um sistema ILP ou da espécie florestal em uma integração com árvores são alguns dos principais erros cometidos e que impactam no resultado final. O analista do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária ( Imea ) Miqueias Michetti explica que isso ocorre por falta de planejamento prévio, no qual se verifica a existência de mercado consumidor para o produto, a viabilidade logística e a previsão de preço para comercialização. Além disso, a definição do espaçamento entre ár

Evento marca os 10 anos da primeira extração de azeite extravirgem em Minas Gerais

Imagem
O governador Fernando Pimentel participou, nesta sexta-feira (2/2), em Maria da Fé, no Território Sul, da comemoração dos dez anos da primeira extração de azeite extravirgem no Brasil. Durante o evento foi anunciada a criação do programa de certificação para a olivicultura, que ficará sob a responsabilidade da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). A medida permitirá o desenvolvimento de protocolo de certificação de produtos agropecuários e agroindustriais em olivicultura. Também foi lançado o rótulo comemorativo que será impresso nos azeites produzidos pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) . Também durante o evento, Fernando Pimentel se reuniu com 12 prefeitos do Sul de Minas, dos municípios de Bom Repouso, Conceição das Pedras, Delfim Moreira, Ipuiúna, Jacutinga, Maria da Fé, Poço Fundo, São Gonçalo do Sapucaí, São Sebastião do Rio Verde, Senador Amaral, Senador José Bento e Wenceslau Braz. Foi uma oportunidade para debaterem os investi
E aí, gostou da matéria? A Agroales News tem em sua missão trazer boas informações aos seus leitores. Sinta-se livre para curtir, comentar e compartilhar nas redes sociais! Contribua com PIX! Chave PIX AGROALES: 999e11f7-141b-460e-a5fe-27a2673c20b3